• Curva de variação da F.E.M. dos Termopares

Curva Termopares Milivoltagem e Temperatura em forma de Gráfico. Temos aqui a representação da variação da milivoltagem em função da temperatura; a temperatura é a de operação dos principais termopares comerciais (básicos e Nobres ou de platina).

Gráfico da variação da F.E.M. dos Termopares (milivoltagem x temperatura de operação)
Gráfico da variação da Milivoltagem x Temperatura dos termopares Básicos e Nobres (platina)

No gráfico acima podemos tirar algumas conclusões com relação a utilização destes termopares. Uma forma de podermos escolher o melhor termopar para ser usado em determinada aplicação seria a sua potência termoelétrica. Este gráfico apresenta a variação da milivoltagem em função da temperatura; a potência termoelétrica é dada pela razão da milivoltagem em função da temperatura.

Analisando qual o melhor termopar para cada temperatura de trabalho

A Curva Termopares Milivoltagem e Temperatura, representada pela variação da F.E.M dos principais termopares nos permite escolher o melhor termopar para cada tipo de temperatura de trabalho. Como fazer isso?

Vejamos o “Gráfico da variação da Milivoltagem x Temperatura dos termopares Básicos e Nobres (platina)” acima:
1) Para a temperatura de 200°C: Os que possuem a maior milivoltagem seria o tipo J (FeCo) e o E (CrCo). O melhor termopar para essa faixa de trabalho seria o tipo E (CrCo); mas porque usamos normalmente o tipo J (FeCo)? Porque há uns 30 anos o tipo J (FeCo) por ter na sua formação o elemento ferro o tornava muito mais acessível comercialmente. Como as temperaturas até 200°C eram usadas em máquinas para a industria, os fabricantes usavam o tipo J (FeCo) para não impactar no custo final do equipamento. Isso perdura até hoje. O termopar tipo E (CrCo) não conseguiu na época espaço comercial na sua utilização; até hoje não é utilizado embora a sua milivoltagem para baixas temperaturas seja a maior.

2) Para a temperatura de 400°C e 600°C: Os que possuem a maior milivoltagem seria o tipo J (FeCo) e o E (CrCo). O melhor termopar para essa faixa de trabalho seria o tipo E (CrCo); o fato de ser o tipo J (FeCo) o escolhido o motivo é o mesmo relatado no item 1.

3) Para a temperatura de 800°C: Os que possuem a maior milivoltagem seriam o tipo E (CrCo), J (FeCo) e o K (CrAl). O escolhido foi o termopar tipo K (CrAl) pois o E (CrCo) tem o seu limite em 1.000°C e o tipo J (FeCo) usado normalmente até 600°C por conta das proteções que o envolvem. Como a faixa superior e limite dos termopares básicos é de 1.150°C o tipo K (CrAl) encaixou definitivamente.

Comments are closed.