Termopar tipo R características

Apostila Digital Termometria

Características:

  1. Define a Escala Internacional Prática de Temperatura / IPTS na faixa de 630,74°C (ponto de fusão do antimônio) a 1064,43°C (ponto de fusão do ouro), sendo adotado como padrão nesta faixa.
  2. Apresenta boa precisão em altas temperaturas embora tenha uma milivoltagem baixa se comparado a outros termopares, devido a pureza de seus fios.
  3. Recomendados para uso em atmosferas inertes e oxidantes em regime contínuo.
  4. Vapores metálicos são prejudicais e devem ser usados tubos cerâmicos de alta alumina.
  5. Uso em altas temperaturas, não observando uma proteção adequada ou bitola do fio, o rompimento do sensor se dá pelo desgaste dos elementos. Em altas temperaturas a platina fica susceptível à contaminação e grãos são formados ao longo do fio, provocando mudanças na sua calibração e rompimento, caso não sejam devidamente protegidas.
  6. Para altas temperaturas (acima de ± 1350°C), devem ser utilizados capilares e tubos protetores de alta alumina (tipo 710).
  7. Normalmente utilizados nas bitolas: 24 AWG (0,51 mm), 27 AWG (0,35 mm) e 30 AWG (0,30 mm).
  8. Devido a sua grande precisão e estabilidade em altas temperaturas, são usados como padrões em laboratórios de calibração. Utilizado como padrão na calibração de outros termopares.
  9. Os termopares de platina de um modo geral não podem ser usados em atmosferas sulfurosas e se utilizados devem ser cuidadosamente protegidos para evitar a contaminação de seus fios.
  10. Mudanças na calibração podem ocorrer pela difusão de Ródio do elemento negativo para o positivo, ou pela volatilização do Ródio (elemento positivo).
  11. Se protegidos adequadamente, podem ser usados em atmosferas redutoras.
  12. No vácuo, apenas por períodos curtos de tempo e devidamente protegidos.
  13. Contaminação dos fios de platina se apenas protegidos por tubos metálicos e não devidamente isolados internamente.
  14. A diferença do termopar tipo “S” (PtPtRh10%) e o termopar “R” (PtPtRh13%) além da sua potência termoelétrica menor (Tipo “S” < 10% em relação ao “R”), também temos a resistência mecânica. Quanto maior o nível de Ródio, maior a resistência mecânica do termopar. Desta forma em temperaturas máximas de 1400°C à 1450°C se a posição do termopar for vertical o elemento tipo R é mais indicado que o tipo S. O próprio peso do fio de platina pode fazer com que exista a ruptura do mesmo devido a sua bitola ser extremamente fina. Normalmente acima de 1400°C na prática já não usamos o termopar S em montagens convencionais.

Aplicações: As mesmas do tipo “S”. Metalúrgicas, Siderúrgicas, Fundição, Usina de Cimento, Vidros, Cerâmica, e Pesquisa Científica. E utilizado em “Sensores Descartáveis” na faixa de 1200°C a 1768°C, para medição de temperatura de metais líquidos em Siderúrgicas e Fundições.

Post Ad After

Comments are closed.